• Dr. Edson Missau Jr.

Bolsa abaixo dos olhos: o que você pode fazer para tratá-las?


cirurgiao-plastico-porto-alegre

Você dorme por várias horas, aquele sono reparador. Então acorda, passa creme, desliza rollers de cristal e nada parece aliviar as bolsas sob os olhos. Mas por que aparecem? Na região, há compartimentos de gordura que, por alguns motivos, tornam-se mais evidentes. Na grande maioria das vezes, a causa é genética. Também são diferentes do inchaço que aparece após uma noite mal dormida. Portanto, nem adianta caprichar na massagem, porque ela não irá embora tão facilmente. Se você já tratou com cosméticos e tratamentos não invasivos, mas o incômodo persiste, pode ser o caso de seguir por um caminho cirúrgico. Com o tempo, as bolsas ficam mais aparentes, porque a pele fica flácida e não dá sustentação à região. Se nas pálpebras superiores a intervenção cirúrgica é funcional, já que a queda atrapalha a visão, quando falamos das inferiores e das bolsas a decisão é simplesmente estética. Mas tenha a certeza de que a melhora das bolsas irá afetar diretamente a sua auto estima! Conheça a Blefaroplastia Também conhecida como cirurgia de pálpebra, a blefaroplastia é um procedimento realizado especificamente na área dos olhos, melhorando a aparência das pálpebras superiores, inferiores ou ambas.


Através dela, é possível: • Corrigir o excesso de pele e gordura, minimizando a sensação de inchaço das pálpebras superiores; • Diminuir a flacidez muscular de toda a região; • Eliminar a pele flácida que cria dobras ou altera o contorno natural da pálpebra superior; • Remover a pele em excesso e rugas finas que se formam na pálpebra inferior; • Retirar as bolsas sob os olhos; • Corrigir a queda das pálpebras inferiores.



A blefaroplastia não é indicada apenas para tratar o aspecto estético, mas também o funcional. Por este motivo, deve ser realizado por um profissional experiente, para que não acarrete em qualquer prejuízo para a função das pálpebras.

Quando a blefaroplastia é indicada? A cirurgia é indicada para pacientes com flacidez de pele e/ou flacidez muscular avançada, algumas pessoas podem ter flacidez intensa mesmo sendo jovens, então pode ser indicada a partir dos 30 anos – que é quando inicia o processo de envelhecimento.



Para passar pela blefaroplastia, o paciente deve realizar uma série de exames e garantir que está saudável. Além disso, deve possuir músculos e tecido facial saudáveis, pois isso é essencial para obter resultados satisfatórios.



São considerados bons candidatos a realizar a cirurgia de pálpebra: 1. Indivíduos sem patologias que possam interferir na cicatrização ou aumentar os riscos durante o procedimento; 2. Não fumantes; 3. Pessoas sem distúrbios oculares graves.


Logo, é essencial informar o médico caso tenha um dos seguintes problemas de saúde: • Distúrbios da tireoide; • Doenças cardiovasculares; • Hipertensão; • Diabetes; • Doença nos olhos, como glaucoma; • Miastenia grave.



Como o procedimento é realizado? A blefaroplastia é considerada um procedimento simples e rápido de fazer. Em média, ele é realizado em 90 minutos mediante aplicação de anestesia local com sedação. 
Após verificar a quantidade de pele que deve ser retirada, o cirurgião faz as marcações prevendo deixar as cicatrizes imperceptíveis. Esta etapa é essencial pois, caso seja retirado pele excessiva, pode acarretar em falta de mobilidade dos olhos e ressecamento ocular.



Caso o paciente sofra de pálpebras superiores caídas, isso pode ser corrigido através da incisão no sulco da pálpebra superior, permitindo o reposicionamento dos depósitos de gordura e tratamento do excedente de pele.


Se a correção é na pálpebra inferior, é comum realizar a incisão logo abaixo da linha inferior dos cílios. Existe ainda uma técnica transconjuntival, que corrige imperfeições, sem deixar a cicatriz evidente, já que fica na mucosa da pálpebra.


Finalizada a cirurgia, as incisões são fechadas com suturas e adesivos de pele.


Riscos da blefaroplastia Assim como qualquer cirurgia plástica, a blefaroplastia envolve riscos à saúde. É preciso ficar ciente da sua existência e, principalmente, procurar um cirurgião especializado – o que reduz as chances deles ocorrerem.


Os possíveis riscos são: • Visão temporariamente prejudicada; • Dificuldade para fechar os olhos; • Hematomas; • Má cicatrização; • Infecção; • Acúmulo de líquido (seroma); • Alteração na sensibilidade da pele; • Dor; • Descoloração da pele e inchaço; • Disfunção na pálpebra; • Perda de visão. É preciso adotar cuidados antes e depois da cirurgia? Antes da cirurgia, as principais recomendações são ficar em jejum, não utilizar maquiagem e chegar acompanhado para a internação. É essencial trazer junto um óculos de sol, pois será preciso utilizá-lo posteriormente, para evitar se expor à luz natural e ao vento.


No pós-cirúrgico, é importante seguir à risca todas as recomendações, pois elas influenciam diretamente no resultado final do procedimento.


Os cuidados são: • Aplicar compressas com água fria sobre os olhos nos três primeiros dias, para minimizar os edemas e o inchaço; • Evitar contato com sol, vento e friagem por 8 dias; • Evitar exposição ao sol; • Adotar uma alimentação nutritiva a partir do dia posterior à operação. Priorize as carnes, leites, ovos e frutas; • Evite coçar ou bater os olhos.



A retirada de pontos ocorre depois de 5 a 7 dias, mas, dependendo da evolução do paciente, é possível retornar às atividades normais após 3 a 4 dias. 



Quais resultados a blefaroplastia proporciona? Ao eliminar o excesso de pele e gordura da região das pálpebras, o procedimento proporciona uma aparência rejuvenescida na região dos olhos. Além disso, o olhar caído é deixado de lado, dando espaço para uma fisionomia mais alerta e descansada.


Os resultados aparecem de forma gradual, conforme o inchaço e os hematomas diminuem. Geralmente, após 8 dias, já é possível notar 25% dos resultados almejados. Passadas 2 a 3 semanas, eles se tornam ainda mais nítidos, obtendo êxito total após o terceiro mês.



Um dos diferenciais da blefaroplastia é que, como a pele da pálpebra é muito fina, as cicatrizes ficam imperceptíveis nos sulcos da pele. De qualquer forma, é essencial evitar a exposição solar nos primeiros dias, pois isso pode escurecê-las.



A cirurgia tem durabilidade em torno de 10 anos, mas é possível manter o resultado com a realização de procedimentos não invasivos, que devem ser realizados anualmente.

Para saber se a blefaroplastia é o procedimento mais adequado para o seu caso, é essencial consultar um especialista. Procure um cirurgião plástico de confiança, que seja membro da SBCP.


Além de avaliar a estrutura dos seus olhos, ele passará todas as informações necessárias sobre a cirurgia, evitando expectativas equivocadas.

--


Dr. Edson Missau Jr. | Cirurgião Plástico

Atendimento em Porto Alegre, Santa Maria e São Marcos (RS).


--


#cirurgia #autoestima #cirurgiaplastica #cirurgiaoplastico #cirurgiaoplasticoportoalegre